domingo, 31 de julho de 2011

Mais uma visita à Escola da Guarda

In site da GNR 27-07-2011
Depois da visita de dia 11, na passada segunda-feira, dia 26, mais um grupo de crianças da Freguesia de Nossa Senhora de Fátima, visitou  a escola da GNR.

sábado, 30 de julho de 2011

A Freguesia de Nª Srª de Fátima recomenda

Rua Dr. Álvaro de Castro (Bairro Santos)

Quando fazem as coisas lembrem-se que no futuro é preciso mantê-las limpas e agradáveis, para que os cidadãos possam usufruir delas.

Aquela que poderia ter sido uma boa ideia, transformou-se num local selvagem, não cuidado e com lixo por todo o lado. Uma "bela" imagem da Junta de Freguesia!

quinta-feira, 28 de julho de 2011

Orgulho de ser português

"Quando outros viam o fim do mundo, nós vimos o Novo Mundo! GLOBALIZAÇÃO: Fomos nós que a começámos. Tornámos o mundo redondo.

Desculpem, mas não estamos cá desde 1143, para sermos tratados como lixo!

Lixo, não obrigado. Somos verdes. Sim, somos especiais!

Estes são tempos extraordinários, para pessoas extraordinárias fazerem coisas extraordinárias. Este é o nosso tempo! O tempo para a excelência."

Moody's, conseguem avaliar isto?


Partilhem esta ideia!

quarta-feira, 27 de julho de 2011

O espelho de uma Junta de Freguesia

Uma vitrine sem nada. Reflexo da actividade de uma Junta de Freguesia?

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Av. João Crisóstomo

Era este o estado do quarteirão da Av. João Crisóstomo junto ao Jardim do Arco do Cego, hoje à hora de almoço.

Lixo, lixo e mais lixo. Esta é uma situação recorrente neste quarteirão, que passa dias e dias e às vezes mais de uma semana sem ser limpo, só assim se explicando esta nojeira e em que em dias de mais calor, como foi já o dia de hoje, o cheiro é nauseabundo.

Já agora vamos ver também para quando a limpeza das caldeiras das árvores. Da última vez que estiveram assim "floridas" atingiram mais de 1 metro de altura.


Onde estão os quiosques e esplanadas prometidas para a Duque de Ávila

Em 22 de Fevereiro deste ano, o Vereador Sá Fernandes anunciava no seu blog, que a Av. Duque de Ávila ira ter "uma ciclovia, mais de dez esplanadas e quiosques".


A abertura das proposta estava marcada para o dia 5 de Abril. Estamos em finais de Julho, e o que é que temos:

Quiosques nem vê-los. Esplanadas, das mais de dez prometidas, vêem-se timidamente 4. A única coisa que foi cumprida é a ciclovia, mas sem bicicletas.

Mais uma vez o Zé, não cumpre as suas promessas e engana os Lisboetas.

domingo, 24 de julho de 2011

Quem é que se esqueceu de reparar o quarteirão da Av. Defensores de Chaves, contíguo ao Arco do Cego?

Há cerca de 3 meses era anunciado com grande pompa a reabertura da Av. Duque de Ávila ao trânsito, depois de anos e anos de obras do Metropolitano e posteriormente a umas, também, infindáveis obras de recuperação de toda a avenida.

Mas o que o Zé se esqueceu foi que estas obras não afectaram só a Av. Duque de Ávila. À sua volta, outras artérias foram sendo também afectadas, como é o caso do quarteirão da Av. Defensores de Chaves entre as Avenidas Duque de Ávila e João Crisóstomo, que durante uma grande parte do tempo em que decorreram as obras, esteve parcialmente encerrado ao trânsito.

Agora que se anunciam exposições na Duque de Ávila e o Zé continua a fazer propaganda à conta da situação desastrosa em que se encontram os comerciantes dessa avenida, esqueceu-se que as obras de requalificação à superfície ainda não terminaram, por muito que afirme o contrário.

Este é o estado em que se encontra a Av. Defensores de Chaves, no referido quarteirão:
Senhores Vereadores Sá Fernandes e Nunes da Silva, para quando a recuperação do piso deste quarteirão, que continua tão esburacado como durante as obras e da placa central, a qual se encontra cortada, com o piso em terra batida numa grande extensão e onde deambulam restos de blocos de cimento dos separadores provisórios, que tendem a tornar-se definitivos e a facilitarem o estacionamento selvagem? E já agora, não deve ser o Metropolitano a suportar o custo desta recuperação, que deve manter a traça original destas placas centrais?

Ninguém vê isto? A CML não está a fiscalizar o que se passa na cidade? Ou será que a verba disponível se esgotou na ciclovia, onde curiosamente não se vêem ciclistas?

sábado, 23 de julho de 2011

Expo Snoopy na Av. Duque de Ávila

Chegou na semana passada à capital mais uma exposição de arte urbana que está a fazer parar o trânsito (pelo menos o pedonal) na Avenida Duque d"Ávila. Trata-se da Snoopy Parade, uma iniciativa inserida nas comemorações dos 60 anos do conhecido personagem de banda desenhada. Publicado in Público 22-7-2011. Ler mais aqui

Uma iniciativa que se espera seja um inicio da dinamização da Av Duque de Ávila e uma ajuda à recuperação ao comércio local, que tão mal tratado foi e continua a ser, pela CML, ao não ver nenhum tipo de compensação pelos enormes prejuízos que sofreu, durante o período em que decorreram as obras da linha vermelha do Metropolitano.

Na revista Visão desta semana é possível espreitar uma sequência de fotos, ilustrativa da exposição.

sexta-feira, 22 de julho de 2011

O que Pedro Passos Coelho realmente disse no Conselho Nacional

In RTP 22-07-2011


Pedro Passos Coelho nunca falou em "desvio colossal" e as imagens divulgadas pelo PSD confirmam a versão do ministro das Finanças.

Assim se vê como a comunicação social, manobra e deturpa a seu belo prazer a informação, sem ter o cuidado de comprovar os factos antes de os publicar. Interessa acima de tudo "dizer mal", seja do que for e sobre quem for, de forma a conseguirem aumentar as tiragens e/ou as audiências.

É momento para se dizer que a diferença entre "desvio colossal" e "o trabalho que o Governo vai ter que fazer para recuperar o desvio que existe quanto as metas orçamentais que estavam previstas é colossal", é realmente muito, muito grande. Diria mesmo colossal.

Outra coisa colossal é a diferença entre o bom e o mau jornalismo. Algo a que infelizmente já vamos estando habituados, mas em relação ao qual cada vez mais temos que estar atentos.

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Câmara aprova a proposta de reforma administrativa de Lisboa

A proposta de Reforma Administrativa de Lisboa, foi esta tarde aprovada em reunião da Câmara Municipal de Lisboa. 

A Reforma agora aprovada assenta em três eixos principais: "mais competências próprias para as Juntas de Freguesia, mais meios para as Juntas de Freguesia prestarem mais serviços de proximidade e um novo mapa da cidade de Lisboa". 

Após um período de debate publico, no qual participaram mais de 7.000 pessoas e que culminou em Abril deste ano com a apresentação de um relatório da discussão pública, a aprovação de hoje, é "o resultado de um longo trabalho de diagnóstico e discussão, para o qual todos foram chamados a pronunciar-se e a debater."

A proposta será agora submetida "à Assembleia Municipal para que, finalmente, possa ser enviada ao órgão legislativo competente – a Assembleia da República."

A Reforma agora proposta, e que pode ser consultada aqui, vai muito mais longe, do que a simples e tão badalada, redução do número de Freguesias e consequente alteração dos seus nomes e limites, ao propor novas competências para as Freguesias com os respectivos meios financeiros, que deverão quase triplicar.

De entre as novas competências agora propostas, destaca-se:

- Gerir e assegurar a manutenção de espaços verdes;
- Manter e conservar pavimentos pedonais;
- Assegurar a limpeza das vias e espaços públicos, sarjetas e sumidouros;
- Manter, reparar e substituir o mobiliário urbano no espaço público;
- Conservar e reparar a sinalização horizontal e vertical;
- Atribuir licenças de utilização/ocupação da via pública, licenças de afixação de publicidade de natureza comercial;
- Proceder ao licenciamento de diversas actividades, como a venda ambulante de lotarias, arrumador de automóveis, realização de espectáculos desportivos ou à venda de bilhetes para espectáculos ou divertimentos  públicos;
- Gerir, conservar e reparar equipamentos sociais na área da Freguesia, designadamente equipamentos culturais e desportivos de âmbito local, escolas e estabelecimentos de educação do 1º ciclo e pré-escolar, creches, jardins-de-infância e centros de apoio à terceira idade;
- Criar, construir, gerir e manter parques infantis públicos;
- Promover e executar projectos de intervenção comunitária, nomeadamente nas áreas da acção social, da cultura, da educação e do desporto, em especial em bairros de intervenção prioritária;
- Participar, em cooperação com instituições de solidariedade social, em programas e projectos de acção social no âmbito da Freguesia;
- Apoiar actividades culturais e desportivas de interesse para a Freguesia;
- Contribuir para as políticas municipais de habitação, através da identificação de carências habitacionais e fogos disponíveis e, ainda, da realização de intervenções pontuais para melhoria das condições de habitabilidade;
- Definir critérios especiais nos processos de realojamento.


segunda-feira, 18 de julho de 2011

As árvores morrem de pé

Ao ler no final de Junho o post do meu amigo António Prôa no seu blog, sobre "a importância das árvores na cidade" e o artigo do Público deste fim de semana sobre "uma visita guiada às árvores de Lisboa", leituras que desde já aconselho, não posso deixar de reiterar duas conclusões.

A primeira, avançada por António Prôa que nos leva a reparar "na diferença entre o conforto de uma rua com ou sem  árvores.  E seja exigente! Não deixemos que se continue a diminuir o número de árvores de alinhamento nas ruas e avenidas, nem que haja cada vez mais ruas sem árvores"

A segunda, por Bagão Félix no Público onde  afirma que "Custa-me reparar que há jardins desmazelados, onde, por entre canteiros, crescem ervas daninhas. Temos o clima ideal, fresco e húmido. Só nos falta praticar o culto do jardim." (...) "Faz-me confusão ver que as pessoas passam diante delas com indiferença, quando as árvores são para serem olhadas. Basta imaginarmo-nos numa cidade sem árvores. Seria um perfeito pesadelo."

A este propósito não posso deixar de voltar a falar na forma menos cuidada como se encontram ainda muitos espaços verdes de Lisboa. Estas 2 árvores na Av. Marquês de Tomar, parecem já não cumprir, há muito, algumas das suas funções, como refere António Prôa - criar sombra, diminuir a temperatura envolvente, aumentar a humidade, valorizar o património envolvente enfim promover a qualidade ambiental.


Não se lhes vê uma folha, em pleno mês de Julho! E já estão assim há mais de pelo menos 2 anos.

O Sr. Vereador Sá Fernandes, sempre tão zeloso em criticar o trabalho dos outros, sobre aquilo que lhe diz respeito, nada faz. É sempre mais fácil dizer mal, do que trabalhar, algo a que infelizmente já nos vem habituando.

E da Junta de Freguesia de Nossa Senhora de Fátima, a quem a manutenção do local está entregue por  protocolo celebrado com a CML, é difícil acreditar que não tenha conhecimento desta situação, num espaço, que como se pode ver pelas fotos, até se encontra razoavelmente bem tratado.

sábado, 16 de julho de 2011

Número de freguesias em Lisboa vai passar de 53 para 24

In SIC 16-07-2011
O número de freguesias em Lisboa vai ser reduzido para menos de metade, de 53 passa para 24. Esta reorganização administrativa está prevista no acordo com a “troika”.


O mapa final das freguesias de Lisboa, a analisar quarta-feira em reunião de Câmara, prevê que a freguesia com maior número de eleitores seja Benfica, com 37.320, e a mais populosa Santa Maria dos Olivais, com 46.416 habitantes. No novo mapa, que reduz de 53 para 24 o número de freguesias do município de Lisboa, de acordo com dados do Censos de 2001, depois de Benfica em número  de eleitores surge Marvila, com 37.210 registados, pouco menos do que o  seu número de habitantes (38.767).  (SIC)

A evolução de 200 países ao longo de 200 anos em 4 minutos

Um fantástico vídeo da BBC que, em 4 minutos, nos mostra de uma forma gráfica, com  animação dos dados, a evolução do desenvolvimento e esperança de vida no mundo nos últimos 200 anos.

Apesar das imensas diferenças entre os países em melhores situações e os países nas piores, ainda com muitas desigualdades dentro de alguns países, assistimos a 200 anos de progresso notável. A enorme disparidade histórica entre o Ocidente e o resto do mundo começa a desaparecer.

Torna-mo-nos num mundo convergente, completamente novo e é hoje possível ver uma tendência clara no futuro, com a assistência, tecnologia verde e paz.


sexta-feira, 15 de julho de 2011

Freguesia das Avenidas Novas

Avenidas Novas, é o nome proposto pelo PSD e pelo PS, para o nome da freguesia que resultará da junção das actuais Freguesias de Nossa Senhora de Fátima e de São Sebastião da Pedreira.

Esta é uma das novas denominações para as 24 freguesias, em vez das actuais 53, que constam da proposta que será levada a reunião de Câmara na próxima quarta-feira.

Segundo o Público «PS e PSD emitiram ontem um comunicado conjunto dando conta de que está concluído o processo negocial referente à reforma administrativa da cidade e sublinhando que este “pretende também ser um contributo e um incentivo para a reforma administrativa que se avizinha no país”.»

Já a TVI24 refere que «Na proposta que submetem a votação, os eleitos pelo PS e pelo PSD, os vereadores Independentes (Cidadãos por Lisboa) e o vereador Sá Fernandes referem a necessidade de criar em Lisboa um modelo "que dote as freguesias de mais competências próprias, mais meios para o exercício de mais competências para prestarem serviços de proximidade aos cidadãos".»

«Mais competências e mais meios exigem unidades políticas de maior dimensão e um novo mapa de Freguesias», refere a proposta.

4 anos depois Lisboa está pior

Parada Snoopy e fruta fresca na Duque de Ávila

Com início hoje e a decorrer até ao dia 15 de Agosto, a Av. Duque de Ávila vai ser palco da  “Snoopy Parade Lisboa”,uma instalação de arte urbana, de 20 estátuas com 2,60 mt. de altura, da famosa personagem de banda desenhada Snoopy, recriadas por vários artistas plásticos, pintores e outros autores de inspirado talento artístico.

Esta exposição tem como objectivo a recolha de fundos para a UNICEF e o programa Escolas para África (www.schoolsforafrica.com), que será feita através de um leilão das estátuas em Outubro. Saiba mais sobre esta iniciativa no site da UNICEF.

Foi também noticiado esta semana a venda de fruta fresca, em sacos individuais com a porção certa para o dia, ou em copos de fruta já lavada e cortada, numa iniciativa de uma empresa privada, envolvendo também a CML e a EDP e em que a Av. Duque de Ávila foi uma das artérias de Lisboa escolhida.

Estas são iniciativas que se espera ajudem a trazer pessoas à Av. Duque de Ávila, que animem não só esta artéria, mas principalmente que possam dar uma ajuda aos comerciantes locais, que continuam a ser esquecidos pela Câmara Municipal de Lisboa, ao não verem ser-lhes atribuído nenhum tipo de compensação, pelos enormes prejuízos sofridos durante os infindáveis anos em que decorreram as obras do Metropolitano.

Outra questão que se desconhece é se esses mesmos comerciantes e as Juntas de Freguesia, foram ouvidos ou até envolvidos nestas iniciativas, ou se mais uma vez foram deixados no esquecimento por parte da CML. E é bom não esquecer, que a iniciativa de venda de fruta, pode vir a fazer concorrência a alguns comerciantes, agravando ainda mais a situação destes.

É importante o desenvolver de iniciativas nesta importante artéria de Lisboa, mas isso tem que ser feito obrigatoriamente com o envolvimento dos comerciantes e Juntas de Freguesia, no sentido de não deixar morrer ainda mais o comércio local. 

Visita de Crianças à Escola da Guarda

In site GNR, 12-07-2011
Uma vez que o site da Junta de Freguesia de Nossa Senhora de Fátima continua sem nada mostrar das actividades por si desenvolvidas, que não sendo muitas, sempre existem algumas como é o caso do Programa Praia Campo, iniciativa da CML desenvolvido em conjunto com as Juntas de Freguesia, aqui fica uma foto da visita das crianças da Freguesia à escola da GNR, esta segunda-feira, que se insere no referido programa e que foi publicada pela GNR no seu site (ver aqui o artigo na integra).

Por falar no site e relativamente às criticas que aqui tenho feito sobre o estado de estagnação em que se encontra, lá foi foram feitas mais algumas intervenções cirurgicas, como a introdução de alguns documentos (regulamentos, conta de gerência e plano de actividades para 2011), e de um link na home page para os resultados das últimas eleições legislativas. Não sei se para os resultados nacionais se para os resultados na Freguesia, pois desde que reparei nele, no inicio deste mês, que não funciona!!!! 

quarta-feira, 13 de julho de 2011

Ainda as esplanadas do Campo Pequeno

Há um ano atrás, e sobre este tema, escrevi aqui que "Parece que nenhuma daquelas esplanadas tem licença de funcionamento, só assim se compreendendo que estejamos não na presença de esplanadas mas mais naquilo que poderemos descrever em alguns casos como de restaurantes montados na via pública, onde até porcos se assam, não se vendo nenhum critério de uniformização e cuja área de ocupação vai lentamente aumentando, descaracterizando e retirando dignidade ao local".

E hoje mais do que nunca fazem também todo o sentido as palavras do senhor secretário da Junta de Freguesia de Nossa Senhora de Fátima, quando a propósito da projecção em directo dos jogos da Selecção de Portugal no Mundial de Futebol, escrevia no Facebook a 15 de Junho de 2010 "estão de parabéns pela dinamização cultural da zona envolvente do Jardim Marquês de Marialva, agora só falta acabar com o cheiro a porco a assar no espeto misturado com choco a grelhar....."

É  que esta polémica que parece que se instalou sobre a acção intempestiva e completamente fora de tempo do Vereador Sá Fernandes, ao fechar algumas das "esplanadas", não tem em parte razão de ser.

Não posso estar mais de acordo com as posições assumidas pelos Vereadores do PSD, pelo Grupo do PSD na Assembleia Municipal, liderado pelo António Prôa e até com as posições assumidas pelo CDS, quer através dos seus autarcas de Lisboa quer pelo requerimento apresentado pelos seus Deputados de Lisboa na Assembleia da República.

Mas a questão que se coloca no caso do Campo Pequeno não é uma questão de simples esplanadas, mas sim de restaurantes implantados na via pública, completamente ao arrepio de qualquer regulamento camarário, actual ou antigo e onde o abuso por parte de alguns restaurantes pelas mais básicas  regras de ocupação da via pública é escandaloso.

Se não vejamos. Desde fornos a lenha e assadores industriais implantados na via pública, onde é normal termos porcos a assar, incomodando com o fumo produzido todos aqueles que ali querem estar, ao mais variado mobiliário que vai de armários para arrumar talheres e loiças a bancas frigoríficas de grandes dimensões onde se expõem os mais variados alimentos.

Isto para não falarmos do facto de ao longo dos últimos anos, o espaço ocupado por estas "esplanadas" ter vindo a aumentar lentamente.

Por outro lado, ao falar-se actualmente no prejuízo que esta acção do Vereador Sá Fernandes, pode causar aos restaurantes, quer a nível económico quer a nível social, com a ameaça de despedimentos, é bom não nos esquecermos, que estes mesmos restaurantes, ao actuarem à margem da Lei, nomeadamente ao não pagarem nenhumas taxas durante estes anos, têm estado a fazer uma concorrência desleal aos restaurantes da zona, que naturalmente são obrigados a pagar todos os seus impostos e taxas. Infelizmente não me lembro de ter visto ninguém preocupado com os prejuízos destes comerciantes durante estes anos.

Aquilo que lamento é que a CML e o Vereador Sá Fernandes, antigamente tão rápido e zeloso a intentar acções contra tudo e todos (lembram-se do túnel do Marquês), tenham permitido deixar a situação atingir estas proporções, não tendo actuado em devido tempo e tenham agora  intervido de forma totalmente irresponsável, lesiva dos interesses de todos - restaurantes, clientes, população em geral, da cidade e até da Câmara Municipal.

Como disse a semana passada é agora urgente que se "
promova um plano para a instalação de verdadeiras esplanadas e não de ampliações dos restaurantes do Centro Comercial, como temos visto até aqui" apelando para que a Junta de Freguesia de Nossa Senhora de Fátima intervenha, seja com ideias seja intervindo politicamente, quer na Assembleia Municipal quer mesmo junto do Vereador Sá Fernandes, para que esta questão tenha um fim rápido e satisfatório de forma a não prejudicar mais a população e os utentes, que são em ultimo caso os grandes prejudicados.

Quanto aos regulamentos de esplanadas do Vereador Sá Fernandes, que tantas e acertadas criticas têm tido, com as suas toalhas, guardanapos e afins de cores determinadas e outras aberrações é urgente por-se-lhes um fim rápido, mais uma vez para bem da cidade, da população e de todos aqueles que nos visitam.

terça-feira, 12 de julho de 2011

Cidades e Desenvolvimento

Estudo desenvolvido pela SAER e pela Caixa Geral de Depósitos, intitulado Cidades e Desenvolvimento, apresenta um "diagnóstico e linhas de acção no sentido das autarquias e cidades poderem continuar a ser um factor decisivo na geração de riqueza económica, na melhoria da qualidade de vida das populações e na sua sustentabilidade".

Segundo o Diário Económico «o estudo apresentado na passada sexta-feira faz uma avaliação da situação dos municípios e apresenta algumas sugestões para que as cidades se concentrem na produção de riqueza para conseguir competir ao nível internacional. "A cidade tem de ter uma posição nos fluxos internacionais, senão definha, afirmou Poças Esteves, o coordenador do estudo.»

Estando direccionado para a análise da situação actual dos municípios portugueses e apresentando propostas que visam novos modelos de financiamento/risco e de gestão além de propostas na área da boa governação dos municípios, algumas das análises e conclusões podem ser adaptadas ao nível de Freguesias, permitindo assim que a este nível autárquico possam também ser introduzidas alterações que levem a uma melhor e mais transparente gestão.  

Uma síntese das principais conclusões do estudo pode ser consultado no site da Caixa Geral de Depósitos

segunda-feira, 11 de julho de 2011

A obra da Duque de Ávila


Concordando-se ou não com a solução encontrada, quer para a reconstrução da Av. Duque de Ávila, quer para o esquema viário para aquela zona da cidade, em que parte já se encontra implementado (precisamente o da Av. Duque de Ávila) e onde a CML pretende transformar a Av. João Crisóstomo numa via com 2 sentidos de trânsito, reservada a transportes públicos (!!!!), não quero deixar de vos dar conhecimento destes dois interessantes e fotograficamente pormenorizados post's do blog "A Nossa Terrinha".

Com elogios, críticas, sugestões e comentários, estes post's trazem-nos uma visão actual daquela artéria.

É bom que os responsáveis autárquicos olhem para algumas das criticas incluídas nestes post's e sejam tomadas medidas correctivas, antes que as situações apontadas passem a definitivas e os abusos  aumentem.





Um exemplo de boas práticas autárquicas (2)

Mais outro exemplo de boas práticas autárquicas em Lisboa.

A Junta de Freguesia de S. José, criou um nicho de microempresas e empreendedores em que, com base num projecto de trocas, todos ganham.

Desta forma, pequenos empresários e empreendedores têm uma base para criação das suas empresas e em troca a Freguesia ganha serviços prestados por essas mesmas empresas, a custo muito baixo ou mesmo a custo zero.

A importância e novidade deste projecto, mereceu já uma página inteira no Diário de Noticias do passado dia 28 de Junho.
veja no Cidadania LX, o texto da noticia do DN de 28/6/2011

Numa altura em que o desemprego é uma ameaça para muita gente e o custo do espaço é por vezes o principal obstáculo para o inicio de um novo projecto, esta iniciativa da Junta de S. José é certamente uma lufada de ar fresco para muita gente.

São já várias os negócios instalados e a Freguesia de S. José já está a beneficiar desta iniciativa.

sábado, 9 de julho de 2011

Av. da República

In Cidadania LX, 9-7-2011
Qual foi a pressa em “esventrar” este prédio da Avenida da República (como tantos na cidade), para depois ficar meses neste mísero estado? :-/

sexta-feira, 8 de julho de 2011

Antiga gare da estação do Arco Cego vai ser transformada num espaço polivalente

No espaço da antiga gare do Arco Cego, onde hoje funciona provisoriamente um parque de estacionamento e ainda se encontra um placard a anunciar o "Futuro espaço museológico dos transportes de Lisboa" irá nascer afinal um espaço polivalente aberto 24 horas.
Com base num acordo celebrado entre a CML e o Instituto Superior Técnico, no passado dia 27 de Maio, a universidade vai criar "um grande espaço de estudo aberto 24 horas por dia a todos os estudantes universitários de todas as universidades de Lisboa, disponibilizar ao público um conjunto de bens culturais actualmente fechados nas instalações do Técnico, através da criação de um espaço museológico dedicado à engenharia, à ciência, à tecnologia e à arquitectura. (...) Vai ser criada uma grande mediateca de âmbito cientifico e tecnológico que permita concentrar num único edifício todas as muitas bibliotecas sectoriais que se encontram espalhadas pelo campo do Técnico, colocando um enorme acervo bibliográfico do IST à disposição de um maior número de utilizadores."

Este acordo prevê ainda a construção pelo IST, a titulo de contrapartida pela cedência do espaço pela CML, de "um espaço de pelo menos de 500 m2 de área bruta a utilizar pela CML para instalar serviços de protecção civil", nomeadamente para realojar o "quartel do Regimento de Sapadores Bombeiros na Defensores de Chaves, que está muito deteriorado e que vai ser o primeiro posto urbano que vamos ter a funcionar na cidade".

Perde-se assim um espaço museológico previsto desde que começou a reabilitação da antiga estação da Carris, iniciativa do antigo Presidente da Câmara Pedro Santana Lopes, de que a parte mais visível é o jardim inaugurado em 2005, mas ganha-se um conjunto de serviços que vão trazer a esta zona da cidade novos utentes e trazer, espera-se, uma nova vida local, nomeadamente "fora de horas " e aos fins-de-semana.

Segundo o Sol, o IST espera que a obra comece em 2012.

Como já nos vêm habituando sobre tudo o que se passa na Freguesia, da Junta de Freguesia de Nossa Senhora de Fátima, até hoje, nem uma palavra sobre este assunto, quer em reuniões de Junta ou Assembleia de Freguesia (a última reunião decorreu a semana passada no dia 29 de Junho), quer no site quer mesmo na revista da Junta!

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Título Carris/Metro/Parque 30 dias integra parque da Av. Álvaro Pais

In Público 18.06.2011, por Inês Boaventura
Título único que permite estacionamento e uso de 
transportes colectivos em Lisboa custará 49 euros

O título Carris/Metro/Parque 30 dias vai custar 49 euros e permitirá estacionar nos parques aderentes - por enquanto sete da EMEL e três da Empark, sendo um deles o da Av Álvaro Pais localizado na Freguesia de Nossa Senhora de Fátima - e seguir viagem até ao centro de Lisboa num autocarro ou no metro.

Veja aqui a notícia na integra

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Alguns problemas no Bairro Santos

Plano de Actividades para 2011 da Junta de Freguesia  de Nossa Senhora de Fátima, além da questão dos Santos Populares a que me referi no post anterior, traz-nos outras "boas noticias", neste caso na página 4, que nos diz que "O Boletim da Junta de Freguesia continuará a ser continuamente melhorado, (...), tentando obter os melhores conteúdos". 

Só se esqueceram de referir que a verdade seria algo que não estaria sempre totalmente presente. Se não vejamos a página 17 do número de Abril:
Num artigo, sobre o mau estado de conservação de passeios, arruamentos e de vários equipamentos urbanos, com o qual estou totalmente de acordo, faltou entre outras coisas, referir que a responsabilidade pela manutenção dos passeios, pilaretes, bancos e outros equipamentos urbanos é da responsabilidade da própria Junta de Freguesia.

E se dúvidas houver sobre de quem é a responsabilidade por estas intervenções, basta ler na mesma página do Plano de Actividades que, "Continuaremos a Conservação e Manutenção dos Passeios, tendo sempre em conta e atenção os valores protocolados com a CML para esse efeito". O protocolo com a CML, assinado pela Senhora Presidente de Junta em 1 de Julho de 2010, previa para este efeitos e para o ano de 2010 a importância de 64.615,36€.

Este tipo de notícias, que de forma leviana se tenta passar para os outros a nossa incompetência, faz-me lembrar alguns tiques Socráticos, a que bem recentemente os portugueses mostraram um cartão vermelho.

Já quanto ao estado dos pavimentos rodoviários  no Bairro Santos, responsabilidade da CML, só faltou dizer que o Senhor Vereador Nunes da Silva, prometeu há cerca de um ano, uma intervenção de fundo no Bairro, que deveria estar concluída no início deste ano e que até agora não começou nem se sabe quando se iniciará.

Uma palavra final para a questão dos "mostrengos de cimentos", vulgo "patas de elefante", com a qual estou de acordo e é algo que passados tantos anos já deveria ter tido uma solução definitiva. No entanto é bom não nos esquecermos que esses "mostrengos" foram sendo colocados a solicitação da Freguesia, há cerca de 16 anos, para facilitar a circulação dos autocarros. Talvez fosse portanto o momento de a Junta de Freguesia propor à CML uma solução, que permita eliminar estes "mostrengos"

No entanto é sempre positivo, verificarmos o reconhecer publicamente, por parte da Junta de  Freguesia, quer sua incapacidade para fazer a manutenção do espaço público que está à sua "responsabilidade", quer do desconhecimento de algumas realidades.

Não prometam aquilo que sabem que não vão cumprir

No Plano de Actividades para 2011 da Junta de Freguesia  de Nossa Senhora de Fátima era prometido, no ultimo paragrafo da página 5 "(...) a realização de Eventos de carácter social, em especial as que já têm um cunho histórico, nomeadamente as Festas dos Santos Populares (...)"

O mês de Junho já terminou e de Santos Populares em Nossa Senhora de Fátima este ano nada vimos.

Já nem as actividades com cunho histórico, conseguem realizar, quanto mais inovar. Deste executivo já nada podemos esperar. Não prometam aquilo que sabem que não vão fazer!

Câmara de Lisboa remove três esplanadas do Campo Pequeno

Funcionários da Câmara Municipal de Lisboa, acompanhados por elementos da Polícia Municipal, estão a remover as estruturas das esplanadas do Campo Pequeno e algum mobiliário exterior, que não está licenciado
Há um ano atrás, dei aqui notícia da situação de total ilegalidade em que se encontravam as esplanadas do Campo Pequeno, pelo que é com satisfação que vejo esta intervenção da CML. Mais vale tarde que nunca!!

Na altura não pude deixar de referir a forma como a Senhora Presidente da Junta de Freguesia de Nossa Senhora de Fátima, que tem assento na Assembleia Municipal de Lisboa, se recusou a denunciar esta situação, afirmando que esse assunto não lhe dizia respeito nem a ela nem à Junta de Freguesia.

No Público de hoje, é noticiado o inicio de remoção das referidas esplanadas, «porque "isolaram e criaram um acrescento aos restaurantes, o que não é aceitável", esclarece João Camolas (assessor de imprensa do vereador José Sá Fernandes). Além disso, nenhuma esplanada do Campo Pequeno está licenciada».

Espero que esta intervenção seja para levar a sério até ao fim, que a legislação seja cumprida e que a CML promova um plano para a instalação de verdadeiras esplanadas e não de ampliações dos restaurantes do Centro Comercial, como temos visto até aqui.

Aquilo que até hoje temos visto no Campo Pequeno é um verdadeiro escândalo de ocupação da via pública.

Mais uma vez apelo a que a Junta de Freguesia de Nossa Senhora de Fátima, deixe de estar ausente da Freguesia, como tem estado estes anos todos e colabore num projecto para a instalação de esplanadas, que dignifique aquele que é um espaço nobre e turístico da cidade de Lisboa e símbolo da Freguesia.

Avenida da República 91

Que destino espera este prédio da Avenida da República - o 91 - agora “isolado” pela Polícia?

In "Forum Cidadania Lx", por R. da Gama, 3/07/2011